Skip to content

“Autobiografia Sem Factos”

Dezembro 18, 2009

“…Todas as naus são naus de sonho logo que esteja em nós o poder de as sonhar.
O que mata o sonhador é não viver quando sonha; o que fere o agente é não sonhar quando vive.

Eu fundi numa cor una de felicidade a beleza do sonho e a realidade da vida.
Por mais que possuamos um sonho nunca se possui um sonho tanto como se possui o lenço que se tem na algibeira, ou, se quisermos, como se possui a nossa própria carne.

Por mais que se viva a vida em plena, desmesurada e triunfante acção, nunca desaparecem o (…) do contacto com os outros, o tropeçar em obstáculos, ainda que mínimos, o sentir o tempo decorrer.

Matar o sonho é matarmo-nos. É mutilar a nossa alma.
O sonho é o que temos de realmente nosso, de impenetravelmente e inexpugnavelmente nosso.”

Livro do Desassossego de Fernando Pessoa

Anúncios
One Comment leave one →
  1. p.a. permalink
    Dezembro 19, 2009 3:15 am

    lindo..

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: